Nota de repúdio e indignação
 
A Comissão Regional de Justiça e Paz (CRPJ) do Mato Grosso do Sul, órgão vinculado à CNBB Regional Oeste 1 (MS), vem a público se solidarizar com o sofrimento do povo brasileiro neste momento da pandemia da COVID-19, especialmente com aqueles atingidos pelas queimadas criminosas no Pantanal, e repudiar a manipulação para fins eleitorais da fé católica ocorrida no dia 12 de outubro que promoveu valores e atitudes que negam o Evangelho de Jesus Cristo e a devoção popular à Nossa Senhora Aparecida.
 
Neste tempo de extrema dor e sofrimento nos solidarizamos com as famílias de mais de 150 mil mortos, provocados pelo novo coronavírus; e, ao mesmo tempo, com os mais de 65 milhões de brasileiros que recebiam o auxílio emergencial de R$ 600,00 e que vêm seu valor reduzido à metade para R$ 300,00, com uma inflação mais alta que em 2016, quando os ingredientes da cesta básica têm seus preços elevados de forma absurda. 
 
Diante do desastre ecológico com queimadas criminosas, quando mais de dois milhões de hectares do Pantanal foram destruídos, nos indignamos ao perceber um crescente descaso do Governo Federal e da classe política em geral com o sofrimento do povo. Esses são temas importante para candidatos e candidatas ao Executivo e Legislativo Municipais do nosso Estado se debruçarem e apontarem saídas que defendam a Vida e a Cultura da Paz com garantia de direitos sociais e ambientais para todos os cidadãos e cidadãs, indistintamente.
 
No dia 12 de outubro, como um alento com o Dia das Crianças e com as manifestações de fé, houve muitos agradecimentos e pedidos de socorro à padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Assim foi a procissão realizada na Estrada Rodovia Parque Piraputanga MS450. Diante de tanto sofrimento, nosso povo busca forças na fé para continuar sobrevivendo!
 
Na homilia na última segunda-feira, dia 12, o arcebispo de Aparecida profetizou que: “há dragões, e dragões bravos que querem matar a vida, mas que Maria vença com a força da Palavra. E nós também iremos vencer esses dragões...”, por isso, com essa certeza, queremos repudiar e execrar a atitude da candidata a vereadora por Campo Grande, a Sra. Juliana Gaioso (PSL) que postou em redes sociais uma foto sua segurando a imagem de Nossa Senhora Aparecida juntamente com uma arma de calibre letal na outra mão, tendo sobre os ombros a Bandeira do Brasil e ainda pede “bênção” à mãe Aparecida, utilizando um refrão de uma canção da tradição católica.
 
À luz da nova Encíclica Fratelli Tutti, afirmamos com o Papa Francisco que se faz necessário desenvolver a não violência como espiritualidade estilo de vida: "aos cristãos que hesitam e se sentem tentados a ceder a qualquer forma de violência, convidamos-vos a lembrar este anúncio do livro de Isaías: «transformarão as suas espadas em relhas de arado» (2, 4). Para nós, esta profecia encarna em Jesus Cristo, que, ao ver um discípulo excitado pela violência, disse-lhe com firmeza: «Mete a tua espada na bainha, pois todos quantos se servirem da espada, morrerão à espada» (Mt 26, 52)".
 
A Comissão Regional de Justiça de paz da CNBB Regional Oeste I (CRJP) vem a público denunciar este gesto de apologia ao crime, abuso, uso indevido e vilipendioso de objeto de culto religioso e flagrante desrespeito a dor do povo que clama por vida aos pés de Nossa Senhora Aparecida, e solicita aos órgãos competentes que se promova a justiça.
 
Campo Grande (MS), 15 de outubro de 2020.
 
Subscrevem.
 
Comissão Regional de Justiça e Paz de Mato Grosso do Sul – CRJP-MS
Conselho Nacional do Laicato do Brasil Regional Oeste 1 – CNLB-O1
Irmão Silvio da Silva - Secretário Executivo da CNBB – Regional Oeste 1
Pe. Agenor CSSR
Núcleo da Rede Celebra de Campo Grande MS
Pastoral Carcerária
Comunidade Eclesiais de Base – CEBs Regional Oeste 1
Congregação Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora Aparecida – Regional Centro Oeste
Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos – CEBI-MS
Comissão Pastoral da Terra - CPT