Notas Públicas

    Garota com bandeira jordaniana durante protesto contra planos de anexação de Israel de territórios da Cisjordânia
    Garota com bandeira jordaniana durante protesto contra planos de anexação de Israel de territórios da Cisjordânia  (ANSA)

    A partir de julho, o governo israelense pretende anexar partes da Cisjordânia, no contexto do plano para o Oriente Médio apresentado pelo presidente Trump.
     

    Vatican News

    "A Comissão Justiça e Paz de Westminster está ao lado do povo da Terra Santa diante dos planos de anexação unilateral por parte de Israel de territórios palestinos da Cisjordânia, programados para ter início em 1º de julho de 2020", diz a Comissão em seu site,  convidando Israel e Estados Unidos a respeitar o direito internacional existente e as resoluções da ONU e abandonar um plano imprudente, em nome da justiça e da paz. 

    "Nossa condenação - continua o comunicado - segue a dos líderes das Igrejas Cristãs na Terra Santa, da Conferência Episcopal da Inglaterra e do País de Gales, e a do cardeal arcebispo de Westminster com o arcebispo de Cantuária", e se soma à preocupação de eminentes membros da comunidade judaica britânica diante dessa perspectiva.

    A anexação - segundo a Comissão de Justiça e Paz – não fará outra coisa senão destruir as possibilidades de uma negociação de paz, limitando ulteriormente as perspectivas de criar um Estado palestino.

    É provável que a violência aumente e a vida dos palestinos, que já sofrem com a ocupação israelense, sofrerá uma maior degradação. Não fará, portanto, nada para melhorar a posição de Israel no mundo.

    Vatican News - AP

     

     fonte: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2020-06/israel-anexacao-territorios-cisjordania-igreja-reino-unido.html